Setor sucroenergético de Mato Grosso do Sul desenvolve 77 projetos na área de sustentabilidade

01/08/2019

Somente um dos grupos em atividade no estado, a Atvos mantém 25 projetos, beneficiando 42 mil pessoas em quatro municípios.

Mato Grosso do Sul possui um parque sucroenergético com 19 plantas em operação. Juntas, essas usinas desenvolvem 77 projetos na área de sustentabilidade, sendo 55 sociais, 12 assistenciais e 10 ambientais.

 

O presidente da Associação dos Produtores de Bioenergia do estado (Biosul), Roberto Hollanda destaca que a sustentabilidade é fundamental e uma premissa básica para o setor, que obedece a um dos marcos regulatórios mais complexos do mundo.

 

Segundo Hollanda, o expressivo crescimento que o estado registrou nos últimos dez anos no setor sucroenergético foi ancorado no tripé de viabilidade econômica, justiça social e responsabilidade ambiental.

 

Na área social, por exemplo, a Atvos um dos principais grupos sucroenergéticos de Mato Grosso do Sul, com três plantas em operação em Nova Alvorada do Sul, Rio Brilhante e Costa Rica, e segunda maior produtora de etanol do Brasil, desenvolve desde 2009 o Programa Energia Social.

 

Por meio do programa, atualmente o grupo desenvolve 25 projetos nos municípios de Nova Alvorada do Sul, Costa Rica, Glória de Dourados e Deodápolis, beneficiando 42 mil pessoas.

 

“Nosso grande desafio é entender a realidade e a necessidade dos municípios onde estamos presentes. Investimos no desenvolvimento de projetos que melhorem as condições socioeconômicas e ambientais das regiões onde atuamos. É gratificante ver o projeto andar com suas próprias pernas depois de tanto tempo, eles viram autossustentáveis”, explica Genésio Lemos Couto, vice-presidente de Pessoas, Sustentabilidade e Comunicação.

 

Em Nova Alvorada do Sul, por exemplo, o Energia Social tem forte atuação nas comissões temáticas de Educação; Saúde, Segurança e Preservação Ambiental; Atividades Produtivas e Cultura, que tem o papel de propor projetos relevantes para o município.

 

Entre os destaques do programa no município estão, conforme a empresa, a qualificação profissional com cursos de: mecânico, soldador, caldeireiro, operador de tratores agrícolas e colhedora de cana, eletricista , técnicas de vendas, análise e planejamento financeiro, gestão de pessoas, atendimento ao cliente, gestão ambiental, confeitaria, corte e costura industrial, instalador hidráulico e informática, entre outros.

 

Na educação ambiental trabalha nas atividades de educação ambiental direcionada para professores, além de difundir princípios, valores e práticas para a implantação da nova Política Nacional de Resíduos Sólidos no município.

 

Também desenvolve ainda o projeto do ponto de cultura, que é considerada a primeira construção sustentável de Nova Alvorada do Sul. Possui tecnologias que envolvem uma perfeita integração com o meio ambiente, como captação da água de chuva para reutilização, tratamento biológico de água, materiais recicláveis e eficiência energética.

 

Já em Costa Rica a empresa aponta que o Energia Social tem forte atuação nas comissões temáticas de Educação; Saúde, Segurança e Preservação Ambiental; Atividades Produtivas e Cultura, que tem o papel de propor projetos relevantes para o município. O destaque dentre as comissões vai para “Saúde, Segurança e Preservação Ambiental”, que possui projetos autossustentáveis e reconhecidos na região.

 

Em 2018, a Atvos implementou o Programa nos municípios de Glória de Dourados e Deodápolis. Durante os meses de junho, julho e agosto deste ano, foram realizadas uma série de entrevistas estruturadas e individuais, onde cerca de 42 pessoas da sociedade civil, comunidade e governo local, levantaram dificuldades e prioridades para o município no momento.

 

Além disso, foi realizado um estudo de dados econômicos, sociais, financeiros e ambientais por uma empresa parceira que, consolidou todas as informações coletadas e desenvolveu um ecomapa dos dois municípios.

Em Glória de Dourados, além da chegada do programa, um novo projeto foi implementado (Reativação da Banda Marcial). O projeto dará vida novamente à banda da cidade e com isso, resgatará a cultura da comunidade e oferecerá atividades musicais para as crianças da região. A inauguração do projeto deve ocorrer no segundo semestre deste ano.

 

Já no município de Deodápolis, por meio do programa um novo projeto foi implementado (Cinema Itinerante). Ele oferecerá cultura e entretenimento para a comunidade e região. Sua inauguração deve ocorrer também no segundo semestre deste ano.

 

Ainda na área social, outra indústria sucroenergética de Mato Grosso do Sul também desenvolve um trabalho que é referência no estado. A Energética Santa Helena, por meio da Fundação José Silveira Coutinho implementa o projeto Anjo da Guarda em Nova Andradina.

 

A iniciativa oferece atendimento sócio-educativo para 230 crianças e adolescentes, entre 4 e 16 anos de idade, dependentes dos funcionários da Energética Santa Helena ou que estão em situação de vulnerabilidade social.

 

O atendimento do projeto Anjo da Guarda é totalmente gratuito, acontecendo de forma planejada e contínua em dois períodos, matutino e vespertino, sempre no horário contrário ao da escola formal, sendo que estar freqüentando a escola é um dos pré-requisitos para que o educando seja matriculado no projeto.

 

Clique aqui e leia na íntegra