Incêndio: todos somos impactados

17/09/2018

Todos os anos, o agronegócio sofre com a instabilidade climática, seja pela seca excessiva, seja pela geada inesperada. O que mais preocupa o setor sucroenergético, em específico, é que muitas vezes o trabalho de uma safra inteira pode ser prejudicado por fatores externos, como uma simples bituca de cigarro jogada às margens da rodovia. Sim, estamos falando dos incêndios.

 

Você já se perguntou se o incêndio que viu ou ouviu falar que existia na sua comunidade pode ter sido um acidente? O setor sucroenergético ainda sofre com o estigma de ser o vilão da história, mas posso afirmar esta prática não é benéfica para o nosso negócio.

 

Somos todos prejudicados com as fazendas de cana incendiadas. A comunidade, por exemplo, inala gases tóxicos e respira um ar ruim para os pulmões. Além disso, a água que vai para as residências fica danificada. Para nossa empresa, o incêndio também é péssimo. A cana queimada deteriora a vida útil dos equipamentos de colheita, pois a manutenção das máquinas fica prejudicada. Adicionalmente, os incêndios, em sua grande maioria, acontecem em áreas nas quais a cana está prematura para colheita ou já foi colhida trazendo um significativo prejuízo à toda cadeia afetada. Outro impacto negativo é quando áreas de proteção ambiental são afetadas, degredando áreas importantes para o equilíbrio ambiental.

 

A Atvos possui uma ampla estrutura de prevenção e combate às queimadas. Nossas equipes controlam as temperaturas do ambiente, a velocidade do vento e umidade do ar para prevenir que altas temperaturas possam causar algum incidente. Além disso, nossas unidades possuem equipes de Brigada de Incêndio devidamente treinadas que monitoram riscos e atuam prontamente caso algum foco de incêndio apareça. Atear fogo é crime e queremos que todos estejam engajados nessa luta.