Trabalhar na usina foi um divisor de águas na minha vidaConfiram a reportagem do CanaOnline com integrante do Polo Santa Luzia

04/04/2018

O site CanaOnline contou a história de Lídia Cabreira Toledo, integrante do Polo Santa Luzia, localizado em Nova Alvorada do Sul (MS). Confira abaixo a reportagem na íntegra:

 

A chegada da Atvos em Mato Grosso do Sul incrementou a economia, gerou empregos e muou para melhor a vida de muita gente

Uma das vidas transformadas pela Atvos após chegar ao município de Nova Alvorada do Sul foi a de Lídia Cabreira Toledo. Em 2008, época em que trabalhava como garçonete num restaurante local, notou uma movimentação maior de pessoas na hora do almoço, todos trajando um uniforme que nunca havia visto por ali.

Pouco tempo depois, ficou sabendo que aquela mesma empresa estava procurando por novos funcionários. Mesmo sem expectativas de ser contratada, mandou seu currículo. Pouco tempo depois, deixou o avental de lado para trabalhar no plantio de cana-de-açúcar na nova usina. “Nunca havia tido contato com o meio rural. Sempre trabalhei na cidade. Foi uma mudança e tanto na minha vida.”

Por nove meses, atuou dosando a quantidade de toletes que caia no sulco de plantio. Mas Lídia tinha planos mais altos. Tirou habilitação e deu início ao seu plano de carreira na empresa. A partir dali, começou a galgar novos degraus. Foi motorista de trator em preparo de solo, depois puxou transbordo e, por fim, virou operadora de colhedora.

Devido ao excelente trabalho, Lídia foi escolhida para liderar uma frente de colheita, composta por cinco colhedoras, 10 tratores e três caminhões. Mas não ficou naquela posição por muito tempo. Foi promovida para assistente do supervisor e passou a auxiliar, não apenas uma, mas três frentes de colheita.

Hoje, Lídia atua como multiplicadora de treinamento. Suas funções incluem dar treinamento teórico para toda a área agrícola da empresa – nos quesitos de segurança, aumento de produtividade e acompanhamento da evolução desse trabalho no campo.

Ela conta que parou de estudar em 2006, quando completou o ensino médio. “Depois que entrei na Atvos, percebi a importância do estudo.” Por conta disso, em 2014, Lídia voltou as salas de aulas. Iniciou uma faculdade de contabilidade e, recentemente, um curso on-line de máquinas agrícolas. “Não pretendo parar de estudar. Quero continuar estudando e crescendo cada vez mais dentro da empresa.”

Quando questionada sobre a importância que a Atvos teve em sua vida, Lídia é enfática. “Foi um divisor de águas. Tudo mudou. Me sinto mais valorizada, não apenas profissionalmente, mas pessoalmente também. Hoje, sou outra pessoa.”